Laboratório de Neurogênese

           O Laboratório de Neurogênese tem mais de 20 anos de tradição em estudos experimentais sobre neurodegeneração e neuroproteção. O trabalho é voltado para a compreensão de mecanismos de neurodegeneração e sua modulação por fatores intrínsecos e exógenos e o principal modelo experimental tem sido a retina de vertebrados, um modelo de tecido nervoso representativo de todo o SNC. Os resultados vêm contribuindo para elucidar tanto aspectos da Biologia Tecidual da Morte Celular Programada específicos da retina, quanto aspectos mais amplos de neurodegeneração e neuroproteção aplicáveis ao SNC em geral.

    O progresso recente permite ampliar os estudos para novas abordagens de doenças neurodegenerativas. O laboratório tem condições de contribuir significativamente com estudos experimentais relevantes para retinopatias degenerativas e para doenças por prions. O objetivo do grupo é a de reforçar o conhecimento básico relacionado a estas duas classes de patologias e, paralelamente, testar estratégias de modulação de morte celular programada em modelos experimentais in vitro e in vivo. Recentemente, o grupo iniciou estudos voltados para fundamentos de terapias gênicas e celulares para retinopatias degenerativas. O chefe do laboratório é responsável pela implantação do Núcleo de Terapia Gênica Experimental do Instituto de Biofísica, Coordenador do Instituto do Milênio - Rede de Terapia Gênica (MCT-CNPq 2005-2008) e Coordenador do Instituto Virtual de Doenças Neurodegenerativas do Estado do Rio de Janeiro (IVDN-FAPERJ).

    O objetivo geral do laboratório é identificar mecanismos de morte celular programada (MCP), operando no tecido nervoso em estágios distintos do desenvolvimento, e testar métodos farmacológicos e genéticos de manipulação da MCp, visando futura aplicação no contexto de doenças neurodegenerativas.

    As seguintes linhas de pesquisa estão em andamento no laboratório:

• Mecanismos de morte celular programada no tecido nervoso - Dando continuidade à linha tradicional de pesquisa básica do laboratório, estão em andamento projetos destinados a:

1) caracterizar múltiplas vias de execução de morte celular programada no tecido retiniano;

2) caracterizar mecanismos de neuroproteção ativados por neurotransmissores e neuromoduladores retinianos, componentes da matriz extracelular e citocinas.

• Fundamentos de terapia gênica para retinopatias degenerativas - Esta linha de trabalho destina-se a aplicar o conhecimento gerado no laboratório sobre controle de degeneração no tecido retiniano, a modelos experimentais de patologias degenerativas da retina. O projeto atual consiste em testar a hipótese de que a superexpressão da proteína Max, por métodos de terapia gênica, protege a retina contra a degeneração em modelos experimentais de glaucoma.

• Fundamentos de terapias celulares de retinopatias degenerativas - Esta nova linha de pesquisa destina-se a examinar comparativamente os efeitos de distintas populações de células tronco, adultas e embrionárias, in natura ou submetidas a modificação genética, sobre a degeneração retiniana em modelo animal estabelecido de retinose pigmentar.

• Funções da proteína prion celular endógena nos mecanismos de apoptose (em associação com o Instituto Ludwig de Pesquisa de Câncer - São Paulo) Dando continuidade à linha de pesquisa de funções da proteína prion celular, estão sendo abordados os seguintes objetivos:

1) Identificar mecanismos de transdução de sinais neuroprotetores dependentes da proteina prion celular;

2) Identificar alterações estruturais da proteína prion celular e de sua ligante 8TI1 relevantes para processos de sinalização celular

3) Identificar novos ligantes da proteína 8TI1 relevantes para sinalização celular mediada pela proteína prion celular.

4) Caracterizar mecanismos de imunomodulação mediados pela proteína prion celular.

 

    Adicionalmente, em função da experiência acumulada em Neurobiologia do Desenvolvimento e no tópico específico de Morte Celular Programada, o laboratório iniciou recentemente duas novas linhas de pesquisa:

• Mecanismos de controle do ciclo celular no tecido retiniano - Destinada a contribuir para o estudo da dinâmica de populações no tecido nervoso. Especificamente o projeto atual destina¬se a identificar mecanismos de controle Da migração nuclear intercinética e mecanismos de controle de fases do ciclo celular por neurotransmissores e neuromoduladores na retina.

• Mecanismos de morte celular programada em câncer - Destinada a estudar formas alternativas de morte celular, distintas da apoptose, induzidas por quimioterápicos em leucemias e gliomas. com o objetivo de identificar parâmetros relevantes para a resposta de tumores à quimioterapia.

Equipe

Rafael Linden - Head of laboratory

Alfred Sholl Franco

Hilda Petrs Silva

Luciana Barreto Chiarini

Mariana Souza da Silveira

Pós-Doutorandos

Daniel Adesse Pedra Martins

Joseph Elliott Aslan

Juliana Adão Novaes

Rafael Mariante Meyer

Tatiana Alves Americo

Doutorandos

Aline da Silva Rosa

Bruno de Souza Gonçalves

Camila Marra de Almeida

Clarissa Leal de Oliveira Mello

Daiane da Rocha Janner

Felipe Cabral Miranda

Isis Grigorio de Freitas

Mauricio Rocha Martins

Paulo José Miranda da Silva Iwakami Beltrão

Roberta Pereira de Melo Guimarães

Talita Martins de Oliveira Beltrão

Thaline Daianne Farias Alves de Lima

Mestrandos

Carlos Henrique Vieira

Daianne Neves Mandarino Torres

Lívia Pinto Pinheiro

Mariana Vaz Carneiro

Iniciação Científica

Adriana Herz Domingues

Alexander Silva de Melo

Ana Gabriela da Silva Agostini

Asmi Ramos Bhaya

Beatriz Cardoso de Toledo

Douglas Bandeira Rocha

Emilia Zin

Gabriel Macedo Costa Guimarães

Iam Palatnik de Souza

Joanna Almeida Silva Barbosa

Lorran Davi Azarany

Maria Isabel Vieira Santos

Thiago Borsoi Couto

Vinícius Cardoso

Técnicos

José Nilson dos Santos

Talita Martins de Oliveira Beltrão

José Francisco Tibúrcio

Gildo Brito de Souza

Programa: 
Neurobiologia
Chefe do laboratório: