Laboratório de Fisiologia Endócrina Doris Rosenthal

Linhas de Pesquisa: 

  • Carcinogênese tireóidea: marcadores moleculares e novas perspectivas terapêuticas;
  • Envelhecimento e função tireóidea;
  • Envolvimento da via Ras-pERK na proliferação e diferenciação dos tireócitos;
  • Geração de peróxido de hidrogênio na tireóide e biossíntese hormonal;
  • Moduladores da função tireóidea;
  • Sobrepeso: regulação hormonal do gasto energético.

    Os hormônios tireóideos exercem efeitos importantes sobre a morfogênese, o crescimento e a maturação de diversos órgãos e agem sobre várias etapas do metabolismo energético. As disfunções tireóideas que resultam em hipo- ou hiperfunção glandular têm geralmente repercussão clínica relevante devido à importância fisiológica dos hormônios da tireóide. Os projetos de pesquisa desenvolvidos visam a elucidar as etapas da biossíntese hormonal tireóidea, sua regulação, metabolização e os mecanismos intracelulares que controlam a proliferação da célula folicular tireóidea. Esses estudos contribuirão sobremaneira para a compreensão da etiopatogenia das doenças tireóideas; da dishormonogênese ao câncer de tireóide. Mais recentemente, temos desenvolvido projetos em colaboração visando a melhor compreensão dos mecanismos envolvidos na regulação do gasto energético e do peso corporal pelos hormônios da tireóide.

    Os objetivos gerais relacionados às linhas de pesquisa são os de compreender os mecanismos de regulação da função tireóidea por fatores de crescimento e estrógenos, pela tireoglobulina e pelo iodo, bem como as vias de sinalização intracelulares da insulina e de fatores de crescimento em tireócitos. Pretende-se ainda avaliar se a diminuição dos hormônios gonadais, nos animais velhos, contribuiria para as alterações do eixo hipófise-tireóide observadas durante o envelhecimento. As informações obtidas são de interesse inclusive para a saúde humana, considerando-se que há crescente aumento no número de idosos na população e a prevalência do hipotireoidismo sub-clínico é maior na população de idosos do que nos adultos jovens. Outra linha de pesquisa está relacionada aos efeitos de xenobióticos sobre a função tireóidea, pois o uso de isoflavonas para o tratamento dos sintomas da pós-menopausa está indiscriminado, sem que se conheçam os possíveis efeitos colaterais destes medicamentos. Para o desenvolvimento dos projetos de pesquisa, utilizamos modelos animais, culturas de células e bócios humanos. As abordagens técnicas usadas nestes estudos vão desde dosagens enzimáticas e hormonais, até técnicas mais avançadas de biologia molecular.

Equipe:

Chefe de Laboratório

Denise Pires de Carvalho

Equipe permanente

Docentes

Doris Rosenthal

Tamar Gomes Pinheiro Frankenfeld

Vânia Maria Corrêa da Costa

Kleber Luiz A. e Souza

Andrea C.F. Ferreira

Pós-doutorandos

Bruno Moulin de Andrade

Elaine Cristina Lima de Souza

Maria Carolina de Souza dos Santos

Raquel Guimarães Coelho

Renata Lopes Araújo

Doutorandos

Adriano Cesar Carneiro Loureiro

Carlos Frederico Lima Gonçalves

Felippe Mousovich Neto

Gustavo de Carvalho Pedrazzi

Igor Cabral Coutinho do Rêgo Monteiro

João Paulo Albuquerque C.de Albuquerque

Ruy Andrade Louzada Neto

Stephan Pinheiro Frankenfeld

Thiago Urgal Pantaleão

Valmara dos Santos Pereira

Vanessa Chaia Kaippert

Mestrandos

Carolina Fittipaldi Pessôa

Diorney Luiz Souza Gran da Silva

Fabio Hecht Castro Medeiros

Juliana Cazarin de Menezes

Iniciação Científica

Ana Beatriz Oliveira Buess

Andressa Lima de Vasconcelos

Lueni Lopes Felix Xavier

Marina Souza Matos

Milena Neves Silva

Vanessa do Rosario Costa Mendes

Victor Hugo Ortenzi de Andrade Silva

Programa: 
Fisiologia e Biofísica Celular
Chefe do laboratório: